• CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA EXTRAORDINÁRIA NO DIA 06 DE DEZEMBRO DE 2016

    A ASPPAPE CONVOCA

    ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

    DIA 06 DE DEZEMBRO DE 2016

    ASSOCIAÇÃO DOS PERITOS PAPILOSCOPISTAS POLICIAIS CIVIS DO ESTADO DE PERNAMBUCO

    A Associação dos Peritos Papiloscopistas Policiais Civis do Estado de Pernambuco, por seu Presidente Carlos Eduardo Maia Lucena de Souza, no uso de suas atribuições, e de acordo com o inciso VII e Parágrafo Primeiro do Art. 4° do Estatuto da Associação dos Peritos Papiloscopistas Policiais Civis do Estado de Pernambuco, convoca toda a categoria dos Peritos Papiloscopistas do Estado de Pernambuco a participar e deliberar, no dia 06 de dezembro de 2016, em primeira convocação às 09:00h e, em segunda convocação às 09:30h, no auditório da Associação Brasileira de Cimento Portland, localizado na Rua da Aurora, nº2000, Santo Amaro, Recife-PE, que tratará sobre a ordem do dia:

    – Informações sobre últimos acontecimentos, atuações da ASPPAPE e propostas das próximas ações;

    – Aberturas de PAD’s exclusivamente aos peritos papiloscopistas, configurando perseguição;

    – Esclarecimentos sobre negociações salariais em 2016 com posicionamento da ASPPAPE;

    – Proposta da ASPPAPE para reconhecimento da categoria como perito da polícia civil num quadro salarial condizente com o grau de complexidade de suas atribuições;

    – Deliberações sobre os assuntos debatidos em assembléia;

    – Sorteio de 3 brindes de fim de ano, sendo 1 microondas e 1 processador de alimentos para os associados e 1 liquidificador para os peritos papiloscopistas presentes na assembleia.

    Recife, 17 de novembro de 2016.

     

    Carlos Eduardo Maia Lucena de Souza

    Presidente

  • Aproximadamente 3 mil pessoas no mundo não tem impressão digital

    Créditos: google.com

    Cerca de três mil pessoas no mundo não possuem impressão digital e, de acordo com a dermatologista Adriane Cruvinel, os casos são resultados da síndrome de Nagali – um defeito genético que não permite a formação de digitais. As pessoas com essa síndrome devem apresentar laudo médico comprobatório e referências paternas para dar entrada no documento de identidade.

    A partir do 6º mês de gestação, o feto começa a desenvolver a impressão digital que é única para cada indivíduo e não muda ao longo dos anos. Não só a síndrome de Nagali que pode causar essa anomalia: são cadastradas mais de seis mil síndromes que dificultam a identificação digital, além de acarretar outros danos a pele.
    A recepcionista Josiane Pereira conta que sofre com a sensibilidade na impressão e que precisa tentar diversas vezes até que os sistemas reconheçam sua digital. “Usar a biometria nos sistemas bancários ou no cartão de ponto do serviço é quase impossível, já que sempre dá como não cadastrada”, relata Josiane.
    Em casos de amputação da mão ou dos dedos a impressão dos dedos do pé é coletada, também chamada de impressões plantares. As pessoas que apresentam problemas com as digitais e queiram orientações sobre documentações devem procurar o instituto de identificação de sua região que em Campinas fica dentro do Poupatempo.

    Créditos: Juliana Cavalcante

    Curiosidades

    • As pontas dos dedos de pessoas com digitais possuem curvaturas. Já dos afetados pela síndrome de Nagali são totalmente planas.
    • O primeiro caso constatado de pessoa sem impressão digital ocorreu com uma mulher suiça em 2007 que teve problemas ao tentar entrar nos EUA.
    • Pessoas que trabalham em construção civil ou que tenham muito contato com produtos de limpeza podem perder temporariamente as digitais devido ao atrito com os tijolos e produtos fortes.

    Fonte: https://digitaispuccampinas.wordpress.com/2016/11/28/aproximadamente-3-mil-pessoas-no-mundo-nao-tem-impressao-digital/

  • Tirar identidade é verdadeiro calvário

    Papel ofício é usado para limpar os dedos / André Nery/JC Imagem

    Papel ofício é usado para limpar os dedos

    Problemas no agendamento e falta de estrutura dificultam confecção do documento.

    No Estado que tem um dos mais avançados polos tecnológicos do País e cujo governo se orgulha de ter implantado um novo modelo de gestão pública, uma pessoa pode penar durante meses atrás de agendamento para tirar uma simples carteira de identidade. E mais: na hora de confeccionar o documento, ainda é preciso sujar os dedos com tinta.

    A designer Luana Lopes tentou, por três meses, agendar pela página do Instituto de Identificação Tavares Buril (IITB) uma data para a empregada de sua casa, que precisava do documento. Até que um dia, a doméstica resolveu ir, sem agendamento, ao Expresso Cidadão do bairro do Cordeiro, na Zona Oeste. “Só foi atendida porque o pessoal de lá deu um jeito por ela ser do interior”, diz Luana.

    FILAS

    Instituído em fevereiro de 2015, o agendamento eletrônico visava eliminar as longas filas e o esquema de distribuição de fichas para tirar o documento. Mas o fato é que é difícil encontrar datas disponíveis.

    A reportagem tentou, durante todo o dia de ontem, agendar atendimentos nos oito postos disponibilizados pelo governo em seis cidades: Recife (três unidades) e Olinda, na Região Metropolitana, Vitória de Santo Antão, Caruaru e Garanhuns, no Agreste, e Petrolina, no Sertão. Apenas em Garanhuns e Petrolina havia datas disponíveis para o mês de dezembro.

    O Expresso Cidadão que funciona no bairro de Peixinhos, em Olinda, é um exemplo do calvário que é para o cidadão tirar um simples documento de identidade. Não há ar-condicionado: funcionários e requerentes sofrem com o calor (por volta das 11h, o termômetro marcava 31 graus no local)

    A identificação é feita pelo velho método de colocar tinta nos dez dedos das mãos. A única coisa da qual não se pode reclamar é da falta de sinceridade dos funcionários. Um cartaz afixado na área onde são colhidas as digitais avisa: “Não há material de limpeza”. Quem tem sudorese (suor exagerado nas extremidades) tem os dedos limpos com papel de rascunho da repartição, pois não há lenços umedecidos ou papel higiênico.

    No balcão imundo, apenas uma pia da qual sai um tímido filete de água. É ali que as pessoas tentam, a duras penas, lavar os dedos. Obviamente, não conseguem, e saem reclamando. “Isso é vergonhoso. Coisa de quinto mundo”, diz, indignada a assistente social Janaína Botelho, enquanto tentava, em vão, lavar os dedos sujos de tinta. Foi mais uma a sair sem conseguir. Na unidade do Shopping Boa Vista, no Centro do Recife, e na de Caruaru, no Agreste, funcionários fazem cota para levar produtos de limpeza para os usuários.

    Uma vez confeccionada, a carteira de identidade pode levar até dez dias úteis para ser entregue. Apenas nos casos de urgência – como viagens e cirurgias – é que as pessoas se dirigem à sede do IITB, na Rua da Aurora, bairro de Santo Amaro, para tirar a documentação. Nesses casos, o tempo médio é de três dias úteis.

    Fonte: http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/geral/noticia/2016/12/02/tirar-identidade-e-verdadeiro-calvario-262342.php

     

  • Corpos devem ser liberados em até dois dias, diz embaixador na Colômbia

    Julio Bitelli, o embaixador brasileiro na Colômbia, afirmou nesta terça-feira que os corpos das vítimas do acidente com a delegação da Chapecoense devem começar a ser liberados em até 48 horas. “Temos que tomar cautela uma previsão, mas em princípio em até 48 horas todo o procedimento deve star completado e deve haver o transporte dos corpos ao Brasil”, disse o embaixador ao canal Globonews.

    Se a previsão se confirmar os corpos das 71 vítimas fatais devem começar a voltar ao Brasil na próxima quinta-feira. De acordo com Bitelli, os corpos estão em boas condições, o que vem permitindo uma rápida identificação das vítimas. “Nas condições em que o acidente ocorreu não houve incêndio e apesar do impacto ter sido muito forte os corpos estão em condição de serem identificados.”

    Foi a mesma opinião do diretor do Instituto Médico Legal (IML) de Medellín, Carlos Valdez, que deu entrevista ao SporTV na noite desta terça-feira e afirmou que os “corpos estão bem preservados”.

    Os corpos serão identificados em Medellín, mas haverá ainda o reconhecimento por parte dos familiares na chegada ao Brasil. A informação foi divulgada pelo secretário-geral da CBF, Walter Feldman, em Chapecó

    “Os 71 corpos foram recuperados hoje e ingressaram no Instituto de Medicina Legal. Aqui, no Instituto de Medicina Legal, começamos o procedimento de necropsia que corresponde a protocolos internacionais para identificação dos corpos”, disse Valdez.

    “Alguns corpos estão em boas condições, e as condições que temos hoje de identificar de identificá-los são muito boas também. Os corpos estão bem preservados, o que facilita a identificação por impressão digital“, seguiu Carlos Valdez.  

    O avião que partiu de Santa Cruz de la Sierra caiu próximo a Medellín na madrugada desta terça. O voo fretado levava jogadores, comissão técnica, jornalistas e convidados da Chapecoense à cidade que seria palco da primeira partida da final da Sul-Americana.

    Das 77 pessoas que embarcaram, 71 morreram. “O governo brasileiro tem representação na Colômbia e apoiou muito para que conseguíssemos os reconhecimentos o mais rápido possível”, contou Valdez. “As análises serão informadas pelo governo colombiano e tudo será passado para as famílias”, acrescentou o diretor do IML de Medellín.

    Fonte: http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2016/11/29/corpos-devem-ser-liberados-em-ate-dois-dias-diz-embaixador-na-colombia.htm

  • Cerca de 20 corpos das vítimas da tragédia da Chapecoense já foram identificados

    Avião da Lamia

    A expectativa é de que o processo de identificação termine na quinta-feira. Aviões da Força Aérea Brasileira estão de prontidão para realizar o traslado dos corpos assim que eles estiverem prontos.

    Cerca de 20 corpos das vítimas do acidente de avião da Chapecoense foram reconhecidos no Instituto Médico Legal de Medellín. A informação foi divulgada pelo Itamaraty nesta quarta-feira (30).

    As autoridades colombianas terminaram as buscas na última quinta-feira, encontrando 71 corpos foram resgatados do local do acidente. Das 77 pessoas que embarcaram no avião, apenas seis sobreviveram.

    A expectativa é de que o processo de reconhecimento das vítimas termine na quinta-feira, após o qual os corpos irão passar por um tratamento antes de serem transportados para o Brasil. 

    De acordo com o Itamaraty, que enviou uma força-tarefa para Medellín para ajudar nos trâmites burocráticos dos familiares em conjunto com a embaixada brasileira na Colômbia, aviões da Força Aérea Brasileira estão de prontidão em Manaus para ir a Medellín e realizar o traslado dos corpos assim que eles estiverem prontos.  O avião que transportava o time da Chapecoense com 77 pessoas caiu na madrugada de terça-feira (29) na Colômbia. O time disputaria uma final histórica para na Copa Sul-Americana.

    Fonte: https://br.sputniknews.com/mundo/201611307013044-corpos-vitimas-tragedia-chapecoense/

  • Prontuários do IGP-SC ajudarão na identificação das vítimas do voo que levava o time da Chapecoense

    Prontuários do IGP-SC ajudarão na identificação das vítimas do voo que levava o time da Chapecoense Marco Favero/Agencia RBS

    O instituto de perícia da Colômbia começou nesta quarta-feira o trabalho de identificação das 71 vítimas fatais do acidente com o avião que levava o time da Chapecoense para a Colômbia, que caiu na madrugada de terça-feira. Até o final da tarde desta quarta-feira, o Itamaraty já havia confirmado os nomes de 45 pessoas. O trabalho estaria mais rápido devido à colaboração de equipes brasileiras de perícia no compartilhamento de documentos. Um especialista do Instituto Geral de Perícias (IGP) de Santa Catarina está em Medellín para auxiliar os trabalhos.

    O necropapiloscopista Ruy Fernando Garcia, do IGP catarinense, tem experiência em casos de reconhecimento de vítimas de desastres e chegou em Medellín na noite de terça-feira. Ele levou do Brasil os prontuários de impressões digitais de 34 dos 71 mortos no voo, sendo 21 catarinenses, cinco gaúchos, quatro cariocas, um acriano, um pernambucano, um maranhense e um paraense. Os prontuários são documentos obtidos com órgãos de perícia dos Estados e contém cópia das impressões digitais dos 10 dedos de cada pessoa. Os dados das outras 37 vítimas foram entregues pela Polícia Federal (PF). 

    Os documentos são necessários para a identificação por impressão digital. O gerente do Instituto Médico Legal do Estado, Marcos Aurélio Lima, conversou com Ruy Fernando Garcia na manhã de hoje.

    — A equipe brasileira foi para auxiliar no processo de identificação, que é comandado pela autoridades colombianas. O que o Ruy nos contou é que os trabalhos estão adiantados e que devem concluir até o final do dia todos os 71 corpos. Ele tem muita experiência nesse tipo de identificação e inclusive levou prontuários aqui de Santa Catarina para agilizar esse processo de identificação das vítimas — afirma Marcos Aurélio.

    Sobre o método de identificação adotado, por impressão digital, Marcos explica que foi a melhor alternativa, levando em consideração a condição do acidente e o estado dos corpos: 

     — Não houve explosão do avião na queda, então os corpos não ficaram carbonizados. Em casos assim, o exame de DNA poderia ser utilizado. Outra opção é de arcada dentária, mas para isso teríamos que ter um registo de visita ao dentista das vítimas. A respeito do reconhecimento por parente, é uma escolha muitas vezes traumática, e não é considerada uma comprovação científica.

    Preparação para receber corpos

    Além do necropapiloscopista, viajou à Colômbia no mesmo avião o secretário executivo de Assuntos Internacionais de Santa Catarina, Carlos Adauto Virmond Vieira, que representa o governador Raimundo Colombo. Ele deu detalhes sobre os procedimentos após a liberação dos corpos.

    — Um avião Hércules da Força Aérea Brasileira está em Manaus aguardando pela liberação dos corpos. Assim que o reconhecimento for concluído, o avião irá para Medellín e trará as 71 vítimas para Chapecó, onde serão recebidas com todas as honras.

    A papiloscopista do IGP, Shirlanie Martins Machado, detalhou como funciona o processo de identificação de impressão digital de uma vítima fatal:

    Passo 1: Peritos fazem cópias das digitais de cada dedo com tinta ou pó em um papel, o prontuário.

    Passo 2: Documento é digitalizado e comparado com material disponível na base de dados do IGP.

    Passo 3: Papiloscopista precisa identificar no mínimo 12 pontos coincidentes em um dedo, entre digital retirada do corpo e a do banco de dados. Dependendo do estado de decomposição ou tipo de acidente, esse processo manual pode demorar de 15 minutos a 3 horas.

    Passo 4: É elaborado um laudo pericial papiloscópico, confirmando a identidade do corpo. 

    Fonte: http://horadesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/noticia/2016/11/prontuarios-do-igp-sc-ajudarao-na-identificacao-das-vitimas-do-voo-que-levava-o-time-da-chapecoense-8558136.html